terça-feira, 18 de agosto de 2009

Entrevista com Padre Anistaine


ORDENADO RECENTEMENTE,

Padre Anistaine fala sobre sua vocação
e sobre seus ideais de sacerdote.


HE- Padre Anistaine, conte-nos um pouco de sua história vocacional.


Padre Anistaine- Desde garoto já havia despertado o “desejo’ de ser padre, mas depois dos doze anos esse “desejo” passou, outros sonhos surgiram, enfim, a vocação “adormeceu”. Certo dia fui convidado para participar de um retiro de carnaval em 1998, Neste retiro Cristo colocou novamente em meu peito uma brasa e uma flecha na alma. Comecei os encontros vocacionais no ano seguinte.Em 2001 fui admitido como postulante na Ordem Franciscana (OFM), mas optei pela Arquidiocese de Olinda e Recife. Larguei o meu emprego e, em fevereiro, dia 13/02/2002 comecei o propedêutico, mais dois anos de Filosofia e quatro de Teologia. Fui ordenado diácono em 27/12/2008. e padre no dia 25/03/2009.

HE- O que é ser um sacerdote colaborador e qual o significado, para o senhor, de exercer esse serviço em nossa paróquia?


Padre Anistaine- Colaborador, a palavra já diz: colaborar. Colocar-se à disposição da paróquia para dar uma assistência pastoral. Exercer uma função na Paróquia Nossa Senhora da Conceição e na Paróquia Bom Jesus do Arraial é uma graça de Deus, pois dessa forma, vigário paroquial, ajudo a escrever um pouco da história das duas paróquias.


HE- Estamos no ANO CATEQUÉTICO NACIONAL. Já queacatequese é importante para uma contínua formação cristã durante toda a nossa vida, que sugestões o senhor daria para que possamos vivenciar com proveito esta proposta da CNBB?


Padre Anistaine- A catequese: A cada ano que passa percebemos a importância de uma formação clara e intensa para a catequese e não pode ser diferente pois a carência é muito grande. As pessoas precisam de um encontro pessoal com Cristo e a catequese, quando bem estruturada e desempenhada produz inúmeros frutos. Devemos, pois, oferecer capacitação para os catequistas, apresentar as riquezas das diretrizes que a Igreja oferece, e colher os frutos.

HE- Quando abraçamos uma opção de vida, então geralmente temos um ideal, uma meta, um perfil pessoal de como vamos realiza-la a partir de nossos próprios sonhos e experiências. Qual o seu ideal como padre?


Padre Anistaine- A santidade deve ser a nossa meta. Antes de ser padre tinha a obrigação de dar testemunho no mundo (cristão) e caminhar para o céu. Hoje, como padre, tenho que ser testemunho para o mundo, caminhar para o céu conduzindo o rebanho que me foi confiado.

Nenhum comentário: