Contra o aborto: Dom Saburido participa de lançamento de campanha

A necessidade de mobilização contra a legalização do aborto foi o foco da palestra proferida pela bióloga e professora da Universidade de Brasília (UnB) e presidenta nacional do Movimento de Cidadania Pela Vida Brasil Sem Aborto, Lenise Aparecida Martins Garcia. Organizado pela Arquidiocese de Olinda e Recife, o evento lotou o auditório do Colégio São José, com cerca de 250 lugares, na noite desta sexta-feira, na Boa Vista, Centro do Recife, com a participação de representantes das igrejas Anglicana e do Nazareno e da Comissão Estadual do Espiritismo. O objetivo era marcar a abertura da articulação para a IV Caminhada Sim à Vida, programada para o dia 26 de setembro, em Boa Viagem, Região Sul do Recife.

“A Igreja (Católica Apostólica Romana) defende a vida em qualquer hipótese”, disse o arcebispo dom Fernando Saburido. “A gente sabe que a Lei prevê a possibilidade do aborto nos casos de estupro, mas mesmo nesses casos defendemos a vida”, frisou. Lenise Garcia explicou que estudos e pesquisas de países que legalizaram o aborto mostram que, mesmo nos casos de estupro, as mulheres que fazem aborto sofrem consequências físicas e psicológicas. “São sete vezes mais propensas ao suicídio, à necessidade de acompanhamento psicológico e psiquiátrico”, exemplificou a bióloga.

Lenise Garcia disse que há uma forte resistência na mídia à discussão das informações contrárias à liberação do aborto. Diante da alegação de que fetos não sentiriam dor antes da 24ª semana de gestação, por exemplo, salientou que isso não está provado cientificamente, mas é fato de que bebês já nasceram e sobreviveram com apenas 20 semanas de gestação. Segundo a Pastoral da Família, a projeção é de que a IV Caminhada Sim à Vida reúna 60 mil pessoas, 20 mil a mais que no ano passado, com o envolvimento de paróquias da Região Metropolitana do Recife e do Interior.


Da redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR

Comentários