Os jovens na Igreja - Perspectivas e possibilidades

Por: Pedro Gomes

A Igreja está mais do que nunca preocupada com e evangelização dos jovens, Assim na 44ª Assembléia da CNBB falou-se muito sobre a juventude e a Igreja nestes termos: Temos consciência que os jovens estão em busca de um ideal, de um sentido maior para a vida e só o encontro com Jesus Cristo, amigo fiel e companheiro de jornada, faz experimentar a beleza e a alegria da fé. Ele chama cada um de nós e quer uma resposta generosa. Crer em Jesus é aceitar sua Palavra e vivê-la no dia-a-dia. Jovem que se deixa cativar pelo Senhor descobre a verdadeira felicidade de sua vida e, por isso, dá testemunho da sua fé e esperança e contagiar outros jovens na luta por um mundo justo, fraterno e solidário, do jeito que Deus quer para seus filhos e suas filhas.

Os jovens estão no coração da Igreja, dando-lhe um rosto jovial. Sua presença, seu jeito, seu dinamismo missionário muito contribuem para uma Igreja mais dinâmica e profética. Em Puebla, ela fez a “opção pelos jovens”. A CNBB incentiva fortemente a evangelização da juventude. Assim escreveram os Bispos: “Convocamos toda a Igreja no Brasil a renovar sua opção pelos jovens, e a dar o melhor de si no empenho pela sua evangelização, através da escuta, compreensão, amizade e da orientação.”

A situação dos jovens:

1. Um tanto abandonados pelos pais, carentes de amor;
2. Sem alguém para dialogar, com falta de ideais
3. Uma busca insaciável de liberdade, de sentido da vida;
4. Vivem muitas vezes a solidão, o vazio,
5. A exclusão social, o subemprego e o desemprego
6. A alienação, à violência, as drogas;
7. A decepção com os adultos e a baixa auto-estima.
8. Muitos jovens são vítimas da sociedade consumista;
9. A delinqüência, as prisões.
10. A ambição desmedida, as faculdades ateístas...
11. Muito trabalho, pouco retorno, stress, cansaço.

Mas nem tudo está perdido
1. Um tanto abandonados pelos pais, carentes de amor;
2. Se alguém para dialogar, com falta de ideais
3. Uma busca insaciável de liberdade, de sentido da vida;
4. Vivem muitas vezes a solidão, o vazio,
5. A exclusão social, o subemprego e o desemprego
6. A alienação, a violência, as drogas;
7. A decepção com os adultos e à baixa auto-estima.
8. Muitos jovens são vítimas da sociedade consumista, a prostituição;
9. A delinqüência, as prisões.
10. A ambição desmedida, as faculdades ateístas...
11. Muito trabalho, pouco retorno, stress, cansaço.

Sendo assim podemos desenvolver alguns trabalhos:

1. Convidar jovens para fazerem parte das pastorais e movimentos, a serem missionários;
2. O jovem é aquele que mais precisa crescer, progredir, então orientá-lo para que seja abençoado por Deus devolvendo com fidelidade um apostolado;
3. Convidar outros jovens para darem testemunhos;
4. Trabalhar com os jovens da crisma, com os grupos de jovens na comunidade;
5. Envolver os jovens nos trabalhos voluntários, principalmente com os pobres;

“Vós, jovens, não sois apenas o futuro da Igreja e da humanidade, como uma espécie de fuga do presente. Pelo contrário: vós sois o presente jovem da Igreja e da humanidade. Sois seu rosto jovem. A Igreja precisa de vós, como jovens, para manifestar ao mundo o rosto de Jesus Cristo, que se desenha na comunidade cristã. Sem o rosto jovem a Igreja se apresentaria desfigurada”. Papa Bento XVI aos jovens no estádio do Pacaembu em maio de 2007.

Comentários