sábado, 7 de agosto de 2010

Retiro Sacerdotal

Entre os dias 21 de junho e 2 de julho, 54 padres, 5 diáconos, religiosos e leigos da arquidiocese de Olinda e Recife participaram de retirocom Dom Fernando Saburido em Israel

Por: Padre Josivan Sales


Nosso primeiro retiro com D. Fernando Saburido se revestiu de características de um retiro-peregrinação-romaria. Desta forma uma das grandes características deste retiro foi a convivência fraterna, já que ademais da presença do arcebispo entre nós e conosco, estivemos mais de 50 padres e frades, alguns diáconos com suas esposas, e um grupo de algumas dezenas de fiéis cristãos e mesmo famílias que nos acompanharam na nossa caminhada.

Estivemos em Paris, onde celebramos a Missa na Capela de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, diante do corpo de Santa Luisa de Marillac e Santa Catarina Labouré, além da presença da relíquia do coração de São Vicente de Paulo, ali, rezei de modo especial pelos vicentinos e senhoras da caridade.

Seguimos para a Terra Santa, onde pudemos conhecer e peregrinar nos Santos Lugares. Lá estive rezando de modo especial por toda a Paróquia, pois sendo a terra onde pisou nosso Bom Jesus, rezei com especial devoção. Uma coisa que me manteve atento durante todo o percurso foram temas voltados para o ensino e desta forma pude conseguir muito material para o nosso Curso Bíblico, e adquirir uma bela lâmpada para o sacrário de nossa paróquia na feira bem perto do Santo Sepulcro.

Um lugar onde verdadeiramente me emocionei foi na casa de Nossa Senhora, onde cheguei a derramar lágrimas com vários outros sacerdotes.

Interessante que na pequenina igreja que recorda o milagre das bodas de Caná foi renovado os votos sacramentais do casamento do dois dos diáconos presentes.

No mar de Galiléia, cantando “há um barco esquecido na praia” renovei nosso ânimo missionário e no rio Jordão, renovei os votos de meu batismo.

Outro lugar de especial emoção foi a igreja da Transfiguração, lá se entende a razão de que Pedro queria construir três tendas e não mais descer...é por demais agradável.

Uma coisa bonita é o carinho que têm pelos brasileiros o povo palestino e de Israel, quantas casas tinham a bandeira brasileira hasteada, por torcer pela Copa do Mundo.

Seguimos para Roma, onde na Basílica de São Pedro nosso Arcebispo recebeu o pálio, símbolo de união com o Papa e concelebrou ao lado de Bento XVI na Missa.

Visitamos as quatro basílicas maiores de Roma e seguimos para Assis onde peregrinamos a tumba de São Francisco e de Santa Clara, no ônibus cantávamos “Irmão Sol, com irmã luz trazendo o dia pela mão...”

O regresso ao Brasil foi recompensador, pois um pouco cansados esperava rever os meus e por as mãos novamente no labor paroquial, certamente mais abençoado por tão bom retiro.

Nenhum comentário: