terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Multidão comemora 100 anos de vida e missão da Arquidiocese

Muita emoção marcou a festa de 100 anos da Arquidiocese de Olinda e Recife, que aconteceu na tarde deste domingo, 5, no Marco Zero da capital pernambucana. O dia teve shows musicais e uma Celebração Eucarística, ponto máximo das comemorações, presidida pelo Núncio Apostólico, dom Lorenzo Baldisseri e concelebrada pelo arcebispo, dom Antônio Fernando Saburido, e pelo presidente do Regional Nordeste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB NE2) e arcebispo de Maceió, dom Antônio Muniz Fernandes. Mais de 100 mil pessoas foram homenagear a segunda arquidiocese mais antiga do país. A noite foi encerrada com a apresentação do padre Reginaldo Manzotti.


O dia festivo para a Arquidiocese começou, às 12h, com o repicar dos sinos de todas as igrejas do Estado. No início da tarde, as pessoas já começavam a chegar no Marco Zero do Recife. Eram fiéis de todas as idades provenientes dos 19 municípios que compõem o território arquidiocesano e das outras nove dioceses que formam a Província Eclesiástica de Pernambuco. Muitos trouxeram faixas com mensagens de congratulações para a arquidiocese. Por volta das 15h, o presidente da Comissão Arquidiocesana para a Cultura, a Educação e a Comunicação Social, padre Luciano Brito fez a acolhida com oração e música. Os cantores Geraldinho Lins, Nádia Maia, Ângela Carlos e o frei Damião Silva foram as atrações.

Por volta das 16h30 o cortejo litúrgico saiu da Igreja da Madre de Deus, co-catedral da Arquidiocese, e seguiu em direção ao palco. Os fiéis aclamaram os seminaristas, o clero arquidiocesano e os bispos da CNBB NE2 e das dioceses sufragâneas de Olinda e Recife. Um pouco antes de começar a missa, dom Antônio Muniz leu a mensagem do papa Bento XVI. Na carta, o pontífice parabeniza o clero e os leigos e reafirma suas orações pela Arquidiocese.

Em seguida, foi a vez de dom Fernando Saburido proferir seu discurso. Emocionado, o arcebispo começou com as palavras do Salmo 117: “Este é o dia que o Senhor fez para nós. Alegremo-nos e nele exultemos”. Depois, fez um resumo da história desde a criação da Prelazia de Pernambuco, em 1614 até criação da Arquidiocese, em 1910. O arcebispo aproveitou para reforçar que a data do centenário é de muita festa, mas também, um momento de reafirmar o compromisso missionário de cada um que faz parte da Igreja Particular de Olinda e Recife. “Somos convidados a retomar a Igreja missionária, servidora, intinerante e profética aberta aos desafios dos tempos atuais. Somos chamados a ser discípulos missionários”, afirmou.

Dom Fernando destacou, ainda, a importância da presença de dom Lorenzo Baldisseri e reafirmou a união com o papa Bento XVI. “Através de sua pessoa, queremos reafirmar nossa obediência ao papa. Sua presença é a prova de que estamos unidos com a Igreja de Roma”, declarou.

Na homilia, o núncio ressaltou a importância da Arquidiocese de Olinda e Recife e o zelo de dom Fernando na condução da Igreja. “Celebramos hoje o primeiro centenário da Arquidiocese de Olinda e Recife, que é uma Igreja viva e dinâmica”, disse dom Lorenzo Baldisseri.

Antes da bênção final, a cantora Fafá de Belém subiu ao palco e cantou a Ave-Maria, sendo ovacionada pelo público. Para encerrar a festa, já por volta das 21h, foi a vez do padre Reginaldo Manzotti, que por mais de uma hora cantou e rezou com a multidão.

Homenagem

Dom Fernando Saburido homenageou o Estado de Pernambuco, representado pelo governador Eduardo Campos, e as 19 cidades que compõem a Arquidiocese de Olinda e Recife, além das cidades-sedes das nove dioceses da Província na pessoa de seus bispos e prefeitos. A todos eles foram entregues uma placa comemorativa do centenário.

Da Assessoria de Comunicação AOR

Nenhum comentário: