Multidão comemora 100 anos de vida e missão da Arquidiocese

Muita emoção marcou a festa de 100 anos da Arquidiocese de Olinda e Recife, que aconteceu na tarde deste domingo, 5, no Marco Zero da capital pernambucana. O dia teve shows musicais e uma Celebração Eucarística, ponto máximo das comemorações, presidida pelo Núncio Apostólico, dom Lorenzo Baldisseri e concelebrada pelo arcebispo, dom Antônio Fernando Saburido, e pelo presidente do Regional Nordeste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB NE2) e arcebispo de Maceió, dom Antônio Muniz Fernandes. Mais de 100 mil pessoas foram homenagear a segunda arquidiocese mais antiga do país. A noite foi encerrada com a apresentação do padre Reginaldo Manzotti.


O dia festivo para a Arquidiocese começou, às 12h, com o repicar dos sinos de todas as igrejas do Estado. No início da tarde, as pessoas já começavam a chegar no Marco Zero do Recife. Eram fiéis de todas as idades provenientes dos 19 municípios que compõem o território arquidiocesano e das outras nove dioceses que formam a Província Eclesiástica de Pernambuco. Muitos trouxeram faixas com mensagens de congratulações para a arquidiocese. Por volta das 15h, o presidente da Comissão Arquidiocesana para a Cultura, a Educação e a Comunicação Social, padre Luciano Brito fez a acolhida com oração e música. Os cantores Geraldinho Lins, Nádia Maia, Ângela Carlos e o frei Damião Silva foram as atrações.

Por volta das 16h30 o cortejo litúrgico saiu da Igreja da Madre de Deus, co-catedral da Arquidiocese, e seguiu em direção ao palco. Os fiéis aclamaram os seminaristas, o clero arquidiocesano e os bispos da CNBB NE2 e das dioceses sufragâneas de Olinda e Recife. Um pouco antes de começar a missa, dom Antônio Muniz leu a mensagem do papa Bento XVI. Na carta, o pontífice parabeniza o clero e os leigos e reafirma suas orações pela Arquidiocese.

Em seguida, foi a vez de dom Fernando Saburido proferir seu discurso. Emocionado, o arcebispo começou com as palavras do Salmo 117: “Este é o dia que o Senhor fez para nós. Alegremo-nos e nele exultemos”. Depois, fez um resumo da história desde a criação da Prelazia de Pernambuco, em 1614 até criação da Arquidiocese, em 1910. O arcebispo aproveitou para reforçar que a data do centenário é de muita festa, mas também, um momento de reafirmar o compromisso missionário de cada um que faz parte da Igreja Particular de Olinda e Recife. “Somos convidados a retomar a Igreja missionária, servidora, intinerante e profética aberta aos desafios dos tempos atuais. Somos chamados a ser discípulos missionários”, afirmou.

Dom Fernando destacou, ainda, a importância da presença de dom Lorenzo Baldisseri e reafirmou a união com o papa Bento XVI. “Através de sua pessoa, queremos reafirmar nossa obediência ao papa. Sua presença é a prova de que estamos unidos com a Igreja de Roma”, declarou.

Na homilia, o núncio ressaltou a importância da Arquidiocese de Olinda e Recife e o zelo de dom Fernando na condução da Igreja. “Celebramos hoje o primeiro centenário da Arquidiocese de Olinda e Recife, que é uma Igreja viva e dinâmica”, disse dom Lorenzo Baldisseri.

Antes da bênção final, a cantora Fafá de Belém subiu ao palco e cantou a Ave-Maria, sendo ovacionada pelo público. Para encerrar a festa, já por volta das 21h, foi a vez do padre Reginaldo Manzotti, que por mais de uma hora cantou e rezou com a multidão.

Homenagem

Dom Fernando Saburido homenageou o Estado de Pernambuco, representado pelo governador Eduardo Campos, e as 19 cidades que compõem a Arquidiocese de Olinda e Recife, além das cidades-sedes das nove dioceses da Província na pessoa de seus bispos e prefeitos. A todos eles foram entregues uma placa comemorativa do centenário.

Da Assessoria de Comunicação AOR

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Andor de Nossa Senhora da Conceição

Legião de Maria realiza Festa da Acies

Entrega de novas fitas do Apostolado da Oração