sexta-feira, 11 de março de 2011

Campanha de combate à tuberculose


Entre os dias 21 e 24 de março, Pernambuco vivenciará uma campanha de combate à tuberculose. Sobre o assunto, conversamos com Laíse Brilhante, coordenadora do programa de controle da tuberculose da Seretaria de Saúde do Estado. Confira!

HE- Em que consiste a tuberculose e como se contrai a doença?

A tuberculose (TB), doença infecciosa causada por uma bactéria (Bacilo de Koch), afeta principalmente os pulmões, existindo também na forma extrapulmonar, ganglionar periférica, pleural, cutânea, oftálmica, óssea, renal, meníngea (membranas que envolvem o cérebro), entre outras. A doença é transmitida pelo ar, através da tosse, espirro ou fala, de uma pessoa com TB nos pulmões e sem tratamento.


HE- Como as pessoas podem se prevenir da doença?

A vacina BCG é utilizada na prevenção das formas mais graves da tuberculose e deve ser administrada em todos os recém-nascidos. Outras medidas ajudam a diminuir a transmissão como: deixar a casa bem ventilada, com janelas e portas abertas, evitar locais fechados e com grandes aglomerados de pessoas. As formas de evitar a contaminação em maior escala é dar o diagnóstico precoce e tratar os enfermos.


HE- A tuberculose tem cura? Existe alguma vacina?

Sim, o tratamento para a TB é oferecido gratuitamente em qualquer posto de saúde e tem duração de 6 meses, mas o tratamento precisa ser seguido até o fim para que se possa alcançar a cura. A BCG é a única vacina existente atualmente e previne contra as formas mais graves da tuberculose. É administrada em dose única no recém-nascido.


- Qual a situação do nosso Estado em relação aos casos de tuberculose, considerando o quadro nacional?

Pernambuco possui uma média de 4.000 casos da doença por ano e 200 óbitos. Ocupa atualmente o 4º lugar em incidência e o 2º lugar em mortalidade entre os estados brasileiros.


HE- Que ações de combate à tuberculose serão propiciadas pela Secretaria de Saúde de Pernambuco durante a campanha de combate à doença? Como e onde será feita a Campanha? Haverá visitas às casas?

Durante a Semana da Campanha (21 a 25.03.11) nos Terminais Integrados haverá apresentação de peça teatral com abordagem e entrega de material educativo sobre tuberculose (das 06 às 10h).
No dia 24.03.11 teremos:
- Trenzinho da alegria: Saída de 01 trenzinho com música e animação e entrega de material educativo. Saída da antiga sede da SES até a Praça do Carmo (das 8h às 12h30min), culminando com a presença da Frevioca no local.


HE- Que sintomas são característicos da doença e onde as pessoas podem buscar tratamento nas redes públicas e privadas de saúde em Pernambuco?

Os principais sintomas são: tosse, febre vespertina, sudorese noturna, falta de apetite e emagrecimento. Pessoas que apresentem tosse por três semanas ou mais são suspeitas de ter a doença e deverão procurar um serviço de saúde mais próximo para realizar o exame de escarro (baciloscopia) e/ou tratamento da doença.


HE- Depois da Campanha como será feito o monitoramento da doença? Isto é sistemático ou somente em alguns períodos?

O Programa Estadual de Controle da Tuberculose objetiva reduzir as fontes de infecção, o número de casos e a morbimortalidade. Para isso, são traçadas diretrizes como tratar a maioria dos enfermos em unidades básicas de saúde, por profissionais das equipes de saúde da família, e dispor de serviços de referência com especialistas e recursos extras para suporte à atenção básica. A coordenação também é indutora da inserção das políticas nos municípios pernambucanos, promovendo a supervisão, monitoramento, capacitação dos profissionais, implantação dos serviços e avaliação.


HE- Qual a época do ano mais favorável para o aumento de casos?

Não existe uma época mais favorável para a disseminação da doença. Todos os meses merecem vigilância e atenção aos sinais e sintomas, que estão mais ligadas às condições de imunidade do indivíduo. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 1/3 da população mundial está infectada pelo bacilo e, desses, 10% desenvolverá a doença. Entre os mais vulneráveis, estão os presidiários, moradores de rua, as comunidades indígenas e pessoas vivendo com HIV / Aids.

.  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .

Programa Estadual de Controle
da Tuberculose PCT-PE
Coordenação: Laíze Brilhante
Telefones: (81) 3184-0202/ FAX: 3184-0338

Nenhum comentário: