sexta-feira, 8 de junho de 2012

Pastoral da Saúde organiza Passeio Ciclístico neste domingo

A Pastoral da Saúde da Paróquia da Harmonia (Recife/PE) realizará no próximo domingo o I Passeio Ciclístico de Casa Amarela com o objetivo de chamar a atenção para a necessidade de ciclovias sombreadas no bairro. A iniciativa tem apoio de vários grupos de ciclistas e do Escritório de Arquitetura Cesar Barros, parceiro no Projeto Comunidade Saudável e Sustentável.

A concentração começará logo depois da missa das 6h30 da manhã do próximo domingo 10 de junho, ou seja, às 7h30min, na Estrada do Arraial em frente ao Sítio Trindade. A saída está programada para as 8h do mesmo local percorrendo as ruas do bairro.

Será sorteada uma bicicleta entre os participantes e o dia marcará o início do Grupo de Ciclistas da Pastoral da Saúde da Harmonia. A Paróquia, por sinal, será a primeira a ter um Grupo de Ciclistas vinculados à Pastoral da Saúde e sairão periodicamente pautados nos pilares: saúde, solidariedade e sustentabilidade.

Segundo Vandson Holanda, coordenador regional da entidade, “esse ‘I Passeio’ já tem dezenas de pessoas confirmadas via facebook preocupadas com urgente necessidade de mais ciclovias no bairro. Além disso, já estamos sendo procurados por outras paróquias para ajudar na implantação de grupos de ciclistas da Pastoral noutras comunidades”.

Em julho a Pastoral da Saúde Nordeste 2 vai lançar várias mudanças em seu site o que inclui hotsite específico para ajudar a criação e fortalecimento de Grupos de Ciclistas da Pastoral da Saúde em diversas comunidades interessadas no Nordeste. O uso de bicicletas possui inúmeras vantagens para a saúde e ainda ajuda o meio ambiente.
Fonte: Pastoral da Saúde

Papa destaca valor da Adoração Eucarística


O Papa Bento XVI presidiu a Missa da Solenidade de Corpus Christi nesta quinta-feira, 7, na Basílica de São João de Latrão, em Roma. Milhares de fiéis participaram da Celebração e da procissão até a Basílica de Santa Maria Maior, logo após a Missa.

Na homilia, o Papa destacou que é importante manter vivo “o sentido da presença constante de Jesus no meio de nós e conosco, uma presença concreta, próxima, entre as nossas casas, como ‘Coração pulsante’ da cidade”.

O Santo Padre explicou dois aspectos do Mistério Eucarístico, ligados entre si: o culto da Eucaristia e sua sacralidade. Sobre o valor do culto eucarístico, o Papa deteve-se sobre o sentido e importância da adoração ao Santíssimo Sacramento.

Uma interpretação parcial do Concíclio Vaticano II restringiu a Eucaristia ao momento celebrativo, da Santa Missa. Segundo Bento XVI, foi “muito importante reconhecer a centralidade da celebração, em que o Senhor convoca o seu povo e o reúne em torno da dúplice Ceia da Palavra e do Pão da vida, o nutre e o une a Si na oferta do Sacrifício”. Porém, embora essa valorização da assembleia litúrgica seja válida, ela deve ser reinserida no justo equilíbrio.

O destaque dado à Santa Missa acabou sacrificando o valor da Adoração Eucarística, como ato de fé e oração dirigido ao Senhor Jesus presente na Eucaristia. “De fato, concentrando toda a relação com Jesus Eucaristia somente no momento da Santa Missa, corre-se o risco de esvaziar de Sua presença o restante do tempo e do espaço existenciais”.

O Papa ressaltou que é errado contrapor a celebração e a adoração, como se estivessem em concorrência uma com a outra. O que acontece é precisamente o contrário. “O culto do Santíssimo Sacramento constitui o ‘ambiente’ espiritual dentro do qual a comunidade pode celebrar bem e em verdade a Eucaristia. Somente se for precedida, acompanhada e seguida por essa atitude interior de fé e de adoração, a ação litúrgica poderá expressar seu pleno significado e valor”, explicou.

Bento XVI enfatizou: “O encontro com Jesus na Santa Missa se realiza realmente e plenamente quando a comunidade é capaz de reconhecer que Ele, no Sacramento, habita a sua casa, nos aguarda, nos convida à sua ceia e, a seguir, depois que a assembleia se desfaz, permanece conosco, com a sua presença discreta e silenciosa, e nos acompanha com a sua intercessão, continuando a recolher os nossos sacrifícios espirituais e a oferecê-los ao Pai”.

O Santo Padre insistiu que não se podem separar comunhão e contemplação. “Para comunicar realmente com outra pessoa devo conhecê-la, saber estar em silêncio ao seu lado, ouvi-la, olhá-la com amor. O verdadeiro amor e a verdadeira amizade vivem sempre desta reciprocidade de olhares, de silêncios intensos, eloquentes, repletos de respeito e de veneração, de modo que o encontro seja vivido profundamente, de modo pessoal e não superficial”.

Sobre a sacralidade da Eucaristia, o Papa explicou que o centro do culto cristão não está nos ritos e sacrifícios antigos, mas sim no próprio Cristo, no seu mistério pascal. “Desta novidade fundamental não se deve concluir que o sagrado não existe mais, mas que encontrou sua realização em Jesus Cristo, Amor divino encarnado”, disse.

Jesus não aboliu o sagrado, ressaltou Bento XVI, Ele o levou ao cumprimento, inaugurando um novo culto, plenamente espiritual. Em todo o caso, “enquanto vivemos no tempo, precisamos de sinais e ritos, que desaparecerão somento no fim, na Jerusalém Celeste”.

Por fim, o Papa sublinhou que “o sagrado possui uma função educativa, e seu desaparecimento inevitavelmente empobrecerá a cultura, de modo particular a formação das novas gerações”.
Fonte: Canção Nova

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Celebração e Procissão de Jesus Eucarístico


Missa no Colégio Santa Catarina:





Após a missa, fiéis na procissão, percorrendo as ruas de Casa Amarela:







Celebração na Paróquia da Harmonia:











Arcebispo celebra Corpus Christi na Catedral da Sé

Celebrado pela Igreja Católica em todo o mundo, o dia de Corpus Christi reverencia solenemente o mistério da Eucaristia, o Sacramento do Corpo e do Sangue de Jesus Cristo. Na Arquidiocese de Olinda e Recife, a data será celebrada em todas as 107 paróquias.

O arcebispo metropolitano, dom Fernando Saburido, presidirá Santa Missa às 9h, na Catedral da Sé, em Olinda, Região Metropolitana do Recife. Após a celebração, haverá procissão com o Santíssimo Sacramento percorrendo a rua Bispo Coutinho até chegar à Igreja da Misericórdia, na Academia Santa Gertrudes. Durante o percurso, o arcebispo concederá a Benção do Santíssimo em três locais: em frente ao Museu de Artes Sacra de Pernambuco, no Convento das Doroteias e na Igreja da Misericórdia.

“Temos durante o ano duas grandes homenagens ao Santíssimo Sacramento. São elas a Quinta-feira Santa e o dia de Corpus Christi, uma motivação para que as pessoas possam adorar e viver a experiência de como Cristo ser pão. Ser pão é doar-se pelos mais necessitados”, ressaltou dom Fernando.

Assista o vídeo no qual dom Fernando convida os fiéis a participar da Solenidade de Corpus Christi

As rádios Olinda AM e Clube FM transmitirão a Santa Missa.

Tapete – A exemplo de outras cidades do país, em Olinda, seminaristas da arquidiocese confeccionarão um tapete por onde o arcebispo conduzirá o Santíssimo Sacramento até a capela da Academia Santa Gertrudes. A produção será feita na madrugada da quarta para a quinta-feira, a partir das 0h.

Tradição - ‘A data acontece sempre em uma quinta-feira, em alusão à Quinta-feira Santa, quando se deu a instituição deste sacramento.’ A tradicional Missa e procissão do Santíssimo Sacramento pelas ruas do centro do Recife será realizada às 17h, na Matriz da Boa Vista. Após a celebração, os fiéis seguirão até a Igreja Santíssimo Sacramento, no bairro de Santo Antônio, onde receberão a bênção do Santíssimo.
Da Assessoria de Comunicação AOR

A população brasileira é majoritariamente contra a liberação do aborto

No dia 26 de Junho, a partir das 15h30, acontecerá na Capital do Brasil, Brasília, a 5ª Marcha Nacional da cidadania pela Vida, organizada pelo Movimento Nacional de cidadania pela Vida – Brasil sem Aborto. A concentração será no gramado, em frente ao Museus, na Esplanada dos Ministérios.

Zenit entrevistou hoje a Dra Lenise Garcia, que com muita bondade se disponibilizou para responder nossas perguntas.

A Dra. Lenise Garcia é professora do Instituto de Biologia da UnB, integrante da Comissão de Bioética da Arquidiocese de Brasília e da CNBB e presidente do Movimento Brasil sem Aborto.

Publicamos na íntegra a entrevista:

ZENIT: Tramita na Câmara um Projeto de Lei (Lei 478/2007), conhecido como Estatuto do Nascituro. O que esse projeto acrescenta na Luta Pró-vida no Brasil?

LENISE GARCIA: O projeto do Estatuto do Nascituro explicita e concretiza algo que já está previsto em nossa legislação, o direito inalienável à vida, desde a concepção. Ele trata de princípios, como por exemplo:
Art. 3º Reconhecem-se desde a concepção a dignidade e natureza humanas do nascituro conferindo-se ao mesmo plena proteção jurídica.

§ 1º Desde a concepção são reconhecidos todos os direitos do nascituro, em especial o direito à vida, à saúde, ao desenvolvimento e à integridade física e os demais direitos da personalidade previstos nos arts. 11 a 21 da Lei nº10.406, de 10 de janeiro de 2002.

E também traz algumas propostas concretas, como:


Art. 11. O diagnóstico pré-natal é orientado para respeitar e salvaguardar o desenvolvimento, a saúde e a integridade do nascituro.


§ 1º O diagnostico pré–natal deve ser precedido de consentimento informado da gestante.

§ 2º É vedado o emprego de métodos para diagnóstico pré-natal que causem à mãe ou ao nascituro, riscos desproporcionais ou desnecessários.

Uma vez aprovado, o Estatuto do Nascituro dificultará interpretações que atualmente alguns fazem das leis, que abrem brechas para a realização do aborto.

No que diz respeito aos movimentos pró-vida, é também importante ter uma agenda positiva, que não se contente com a luta “contra” a descriminalização do aborto, mas mostre que somos “a favor” da vida, mesmo aquela em circunstâncias complexas e delicadas.

ZENIT: O que falta para ser aprovado?

LENISE GARCIA: Os projetos de lei que nascem no Congresso Nacional tem, no Brasil, uma tramitação bastante longa. Ele foi aprovado na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados, mas precisa ainda passar pela Comissão de Finanças e Tributação, e pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania. Sendo aprovado na Câmara, ainda vai ao Senado. Tudo isso pode ocorrer em um espaço de tempo relativamente curto, se a população estiver atenta e acompanhando a tramitação. Caso contrário, a tendência dos parlamentares é “esquecer” projetos polêmicos. Daí que seja muito importante a manifestação da população pela aprovação do Estatuto do Nascituro.

ZENIT: Há um anteprojeto de lei querendo aprovar o aborto? Do que se trata?

LENISE GARCIA: Está sendo feita uma reforma do Código Penal. Para isso, o Senado designou inicialmente uma comissão de juristas, que vai apresentar um anteprojeto a ser analisado pelos parlamentares. Esse anteprojeto ainda não foi oficialmente apresentado, mas fizeram-se públicas várias de suas partes, e na referente aos crimes contra a vida há alguns itens bastante preocupantes, no que se refere ao aborto e também à eutanásia. Pela proposta, por exemplo, não é crime o aborto até a 12ª semana quando, a partir de um pedido da gestante, o “médico ou psicólogo constatar que a mulher não apresenta condições de arcar com a maternidade”. Com uma regra tão indefinida, é evidente que se abririam muitas portas.

ZENIT: No dia 26 de Junho se realizará a 5ª Marcha em Favor da Vida na Esplanada. Em que ajuda uma manifestação presencial nas ruas?

LENISE GARCIA: Sabemos que a população brasileira é majoritariamente contra a liberação do aborto. Entretanto, é preciso que isso seja mostrado aos parlamentares, para que eles atuem como é desejo de seus eleitores. Ir às ruas é um modo bastante eficiente de se fazer essa demonstração. Por exemplo, a comissão de juristas que está elaborando a proposta para o Código Penal está incluindo muitas coisas que são o seu pensamento, mas não o do povo brasileiro. Entretanto, eles não são nossos legítimos representantes. Já os senadores deveriam sê-lo, para isso foram eleitos. Um dos objetivos da Marcha é lembrá-los dessa sua representatividade, mostrar que estamos atentos.
ZENIT: Vão pessoas de todas as religiões? De quais principalmente?

LENISE GARCIA: Temos a participação de pessoas de muitas religiões, ou mesmo sem nenhuma. Todo cidadão que compreenda e queira promover a dignidade humana de cada pessoa, mesmo nas fases iniciais da existência, está convidado a participar. Em eventos anteriores, tivemos a presença de católicos, espíritas, evangélicos de variadas denominações, budistas, adeptos da seicho-no-ie, participantes da Legião da Boa Vontade (LBV) e muitos outros.

ZENIT: Como é que aqueles que estão em outros Estados do Brasil podem apoiar a Marcha pela Vida?

LENISE GARCIA: Quem tiver condições de vir a Brasília, está convidado. Sempre recebemos caravanas de vários lugares. Quem não puder estar presente, pode ajudar a divulgar, especialmente entre conhecidos que morem por aqui. Também necessitamos ajuda financeira para viabilizar a Marcha, pode-se obter informação sobre isso no site do Brasil sem Aborto www.brasilsemaborto.com.br . Outra forma de apoio é assinar a petição em favor do Estatuto do Nascituro, o que pode ser feito online, ou coletar assinaturas baixando o arquivo do formulário. Tudo isso está disponível no site. Estamos também pensando em apoio pelo Twitter, no dia da Marcha, o que sempre ajuda a divulgar o evento.
Reportagem: Thácio Siqueira
Fonte: Zenit