quarta-feira, 11 de julho de 2012

Você conhece o fundamento da sua fé?

Sagrada Escritura, Sagrada Tradição e Sagrado Magistério. Essa é a tríade que constitui a base da fé católica, a fonte para que os fiéis sejam conscientes da sua fé. Mas os católicos conhecem o significado desses pilares? Em especial neste ano em que se inicia o Ano da Fé, proclamado pelo Papa Bento XVI, os fiéis terão a oportunidade de redescobrir o verdadeiro sentido da fé que professam por Cristo e pela Igreja.

Para os católicos, a centralidade da fé está no mistério da Eucaristia, instituída pelo próprio Cristo, o que sinaliza a vontade de Deus em permanecer em união com a humanidade.

Para o membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Murilo Krieger, arcebispo de Salvador (BA) e Primaz do Brasil, uma das características da fé católica é justamente o fato da iniciativa partir de Deus, e não dos homens.

“Não somos nós que procuramos Deus, que procuramos conhecê-lo, que tentamos entrar na sua intimidade. Ao contrário: Deus é que se revela a nós. Ele é que tomou a iniciativa”, explica o arcebispo.

Sendo assim, Dom Murilo diz que o que resta aos católicos é acreditar em Deus, acolher sua Palavra e colocar em prática seus ensinamentos, o que acaba constituindo o fundamento da fé católica. “É (o fundamento) ouvir o Senhor, acreditar em seus ensinamentos, colocá-los em prática com a graça e força que Ele mesmo nos dá”.

Sagradas Escrituras e Tradição

As sagradas escrituras reúnem os ensinamentos que Deus têm para a humanidade. Tais ensinamentos estão presentes no livro sagrado para os católicos: a Bíblia. Mas nem tudo que Deus ensinou está unicamente em forma de escrita.

“A pregação não surgiu assim de um livro que Deus mandou escrever e distribuir. Surgiu de ouvir a Palavra de Deus. Então essa pregação apostólica, hoje nós a temos expressa, de modo especial, nos livros inspirados. Mas esta pregação deve continuar até o fim dos tempos”, lembrou Dom Murilo.

O arcebispo de Salvador enfatizou que os apóstolos transmitiram aquilo que receberam a partir do convívio com Jesus e exortaram os fiéis a manterem a tradição que aprenderam, seja oralmente ou por escrito.

“Eu resumo “Tradição” com a expressão seguinte: a tradição é a fé viva daqueles que já morreram. E nós temos conhecimento desta fé. Quando se fala em tradicionalismo, é outra coisa totalmente diferente, é o apego à fórmula, a uma determinada época. Tradicionalismo é a fé morta dos que ainda vivem. Então uma pessoa tradicionalista, apegada ao passado, a um determinado momento da história, tem uma fé morta, embora esteja viva”, explicou.

Além das Sagradas Escrituras e da Sagrada Tradição, a fé católica tem ainda um terceiro fundamento: o Magistério. “Magistério é aquele grupo da Igreja que recebe uma ação especial do Espírito Santo para que esta revelação de Deus não se perca e se mantenha sempre fiel”, explicou Dom Murilo.

Para o arcebispo, fazer o católico conhecer melhor as riquezas de sua fé é hoje uma tarefa desafiadora. Ele diz que é importante lembrar que foi a vontade de Deus que todas as gerações pudessem ter um conhecimento íntegro de suas revelações, o que nem sempre acontece.

“Temos um dom imenso, temos a Palavra de Deus, a Tradição, o Magistério, a unidade sob Pedro, temos os santos, as formas de rezar, os sacramentos, especialmente o da Eucaristia, temos mártires, temos tudo isso e às vezes não conhecemos”.

E o conhecimento da fé católica em sua profundidade vem a partir dessa tríade tão importante para a Igreja e seus fiéis. “Tanto a Sagrada Escritura, como a Sagrada Tradição como o Magistério nos permitem conhecer Deus como Ele se revelou, até o dia em que o veremos face a face e que não precisaremos mais, portanto, da Escritura, nem da Tradição e nem do Magistério porque estaremos diante de Deus contemplando mergulhados na sua misericórdia.”

Ano da Fé

Se ainda não são conhecidos em sua plenitude, os pilares da fé católica podem ser melhor estudados e compreendidos durante o Ano da Fé. A proposta de Bento XVI é que esta seja, justamente, uma ocasião de redescobrimento e amadurecimento da fé dos católicos.

“O Papa já pediu que, neste Ano da Fé, nós saibamos dar lugar às Sagradas Escrituras, lembrando que Deus se revelou. Além disso, o Ano da Fé vai nos servir também para destacar o valor da Sagrada Tradição que tem sua força muito grande no Concílio Vaticano II, do qual estaremos, a partir de 11 de outubro, celebrando o cinqüentenário”.

Dom Murilo citou o Catecismo da Igreja Católica como o grande presente dado pelo Magistério da Igreja há 20 anos. Ele lembrou que o Papa pede que, em especial no Ano da Fé, o Catecismo seja mais conhecido, o que significa voltar-se para o essencial.

“Se nesse Ano da Fé nos voltarmos para o essencial, se nos colocarmos sob ação do Espírito Santo, Ele nos ajudará a penetrar nas verdades que Ele revelou à Igreja, verdade que tem como finalidade nos renovar, nos transformar”, disse.

Dom Murilo finalizou dizendo que o Ano da Fé foi uma graça que nasceu do coração de Deus e foi inspirada pelo Espírito Santo a Bento XVI. “Um dom assim temos que acolher com muita alegria e trabalhar para que as riquezas da Igreja estejam à disposição de todos”.
Fonte: CNBB

Festa do Carmo tem início e reflete sobre a evangelização

A Província Eclesiástica de Olinda e Recife renova a sua fé e homenageia a padroeira Nossa Senhora do Carmo entre os dias 5 e 16 de julho.

A expectativa é que milhares de devotos visitem diariamente a Basílica Nossa Senhora do Carmo, no bairro de Santo Antônio, centro do Recife, e reflitam sobre o tema “Maria, estrela da evangelização sempre renovada”. Segundo o reitor da basílica, frei Rosivaldo Torres, a Festa do Carmo é “um evento que é feito com a fé de todos os lugares”.

A abertura das festividades será nesta quinta-feira, 5, a partir das 15h, com Missa Solene presidida frei Rosivaldo Torres. Após a celebração, será feito o hasteamento da bandeira e a reinauguração dos quatro sinos, que foram restaurados e voltam a badalar após mais de 30 anos desativados. A cantora Joanna encerra o primeiro dia do novenário com show em homenagem aos 45 anos de carreira do padre Zezinho.  Ela cantará canções do religioso presente no seu mais recente trabalho. O início da apresentação está previsto para às 19h.

A programação conta com celebrações diárias presididas por bispos de diversos Estados do Nordeste e shows com cantores católicos. Entre eles: Frei Damião Silva, Eliana Ribeiro, Walmir Alencar e Ministério Adoração e Vida. Além de atrações culturais como Israel Filho e Forró Culé de Xá.

Na manhã do dia 16, haverá celebração às 8h e 10h. O arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, celebra Missa campal às 15h30 e, em seguida, os fiéis participarão da tradicional procissão com a imagem da padroeira da cidade do Recife pelas ruas do centro da cidade. As festividades serão encerrada com a Bênção do Santíssimo Sacramento concedida de uma das janelas da basílica.

Clique aqui e confira a programação completa da Festa do Carmo 2012
http://www.arquidioceseolindarecife.org/wp-content/uploads/2012/07/Programacao_Oficial.pdf

BASÍLICA NOSSA SENHORA DO CARMO
Av. Dantas Barreto s/n, 50.010-180 – Recife / PE
Fone/Fax: 55 (81) 3224 3174
Site: http://basilicadocarmorecife.org.br

Camisas do Bote Fé na Vida já estão à venda

Já estão à venda as camisas do Bote Fé na Vida. Os interessados podem comprar na Cúria Metropolitana, no Palácio dos Manguinhos, nas Graças, e na Livraria Paulinas, na Rua Frei Caneca, no Centro do Recife. A camisa custa R$ 15 e terá número limitado. Todos devem usá-las no próximo dia 22, quando celebraremos a contagem regressiva de um ano para a Jornada Mundial da Juventude Rio 2013.

Na Cúria, o horário de vendas é das 9h às 12h. Já nas Paulinas é de 9h às 17h. Você encontrará a camisa em todos os tamanhos, apenas na cor branca, que é para celebrar a unidade com o Brasil inteiro, que estará realizando o evento simultaneamente.

Detalhes do percurso da corrida Bote Fé na Vida

Confira os detalhes do percurso da corrida de rua Bote Fé na Vida, que será realizada no próximo dia 22, a partir das 8h. A largada e a chegada serão na Igreja de São José, na Praça Frei Neca, ao lado do Forte das Cinco Pontas. Os percursos de 5km e 10 km serão pela Avenida Sul.

Clique no mapa para mais detalhes.



Corrida de Rua Bote Fé na Vida
Data: 22 de julho de 2012
Horário: 8h
Local: Avenida Sul, Área Central do Recife
Percursos: 5 km e 10 km.
Inscrições: http://www.corre10.com.br/site/mais/calendario/calendario-visualizar.php?id=286
Valor: R$ 10 (presencial) e R$ 15 (online – devido a taxa de conveniência)
Fonte: CAP Juventude

Primeiro seminário arquidiocesano sobre ensino religioso, será em agosto

O ensino religioso é um dos maiores problemas para os educadores. A fim de discutir o assunto e encontrar pistas para uma prática pedagógica que contemple a transversalidade do tema e o respeito ao credo próprio de cada confissão, a Comissão Arquidiocesana de Pastoral para a Educação e Cultura (CAPEC) realizará o seminário ‘Igreja e Estado: desafios e perspectivas para o Ensino Religioso’, no dia 22 de agosto. O evento, que acontecerá na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), será destinado a professores, agentes de pastoral, religiosos, seminaristas e alunos de teologia, filosofia e ciências da religião.

As inscrições já foram abertas. Para participar, o interessado deve preencher a ficha de inscrição anexa ao folder do seminário que pode ser encontrado em qualquer igreja matriz da Arquidiocese de Olinda e Recife, e pagar uma taxa no valor de R$30. O comprovante do pagamento, deve ser enviado para o e-mail capeducacaoecultura@gmail.com.

A ideia do seminário nasceu da angústia de professores que participaram das reuniões com o arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, e com o presidente da CAPEC, frei Rinaldo Pereira, durante as visitas pastorais. Para os educadores o ensino religioso se apresentava como um dos grandes desafios da sala de aula. Pensando nesses profissionais e também em outras pessoas que lidam diretamente com a educação e a formação cidadã, principalmente de crianças e adolescentes, a CAPEC preparou uma programação com palestras e mesas-redondas comandadas por profissionais reconhecidos da área.

Participarão do seminário o arcebispo emérito de Juiz de Fora (MG) e ex-presidente da comissão nacional para o ensino religioso da CNBB, dom Eurico dos Santos Veloso; a assessora para o ensino religioso da CNBB, mestre em Ciências da Religião e doutora em Filosofia, Anísia de Paulo Figueiredo; e o bispo titular de Avala e auxiliar do Rio de Janeiro, dom Nelson Francelino Ferreira.

Dentre os assuntos abordados durante o seminário estará o Acordo Brasil-Santa Sé, muito criticado por aqueles que defendem o Estado laico. Os organizadores do seminário pretendem desmistificar o assunto. “No acordo não há nenhuma diferença daquilo previsto na nossa Constituição Federal. O Estado é laico, mas para educar não podemos prescindir a dimensão religiosa que é inerente ao ser humano”, explicou frei Rinaldo. Outros temas como o processo histórico do ensino religioso no Brasil, as modalidades e os desafios desse tipo de disciplina e as perspectivas do ensino religioso também serão debatidos.


Serviço
Seminário sobre Ensino Religioso
Data: 22 de agosto de 2012
Local: Universidade Católica de Pernambuco – Bloco ‘G’ – Auditório G1
Investimento: R$30
Da Assessoria de Comunicação AOR

Visita ao Santo Padre Papa Bento XVI

Nos últimos dias, 25 de junho a 01 de julho, estive em Roma para participar da Celebração de São Pedro e São Paulo, presidida pelo Santo Padre o Papa Bento XVI. Nesta ocasião, foi entregue aos novos arcebispos do mundo inteiro o pálio, peça de lã branca, de largura aproximada de 8 centímetros. Os pálios foram abençoados pelo Santo Padre, na vigília da solenidade, e depositados sobre o túmulo de São Pedro, de onde foram retirados e conduzidos até o altar para serem entregues aos respectivos arcebispos, no início da celebração. É sinal de unidade com o sucessor do Apóstolo Pedro, escolhido por Jesus para guiar a Igreja e anunciar o Evangelho, juntamente com os demais.

Do Brasil, receberam o pálio sete novos arcebispos, entre eles Dom Jaime Vieira Rocha, Metropolita de Natal – RN, do nosso Regional Nordeste 2 da CNBB. Além de alguns bispos do nosso regional, estiveram presentes boa representação de padres e leigos da vizinha Arquidiocese de Natal.

Para mim, foi oportunidade maravilhosa de reviver a emoção vivenciada em 2010, nessa mesma solenidade, quando tive a honra de receber o pálio de Olinda e Recife. Dois anos depois, junto ao túmulo de São Pedro, foi oportunidade de renovar meu compromisso de procurar imitar o Cristo – Bom Pastor, que dá a vida por suas ovelhas.

Aproveitei a estada em Roma para participar da audiência coletiva com o Papa Bento XVI, na manhã da quarta-feira (27), e solicitar bênção especial para nossos arquidiocesanos de Olinda e Recife, a fim de que possamos caminhar, sempre mais, na paz e unidade, em comunhão plena com o representante visível de Jesus Cristo no meio de nós. A sala Paulo VI, onde aconteceu a audiência, estava repleta de peregrinos e tivemos a alegria de escutar o Papa falando em nossa língua, ao saudar os fiéis provenientes de Portugal e do Brasil.

Atendendo convite do Monsenhor Enrico Adriano Rosa e acompanhado por Dom Matias Patrício de Macêdo (Arcebispo Emérito de Natal) e Monsenhor José Albérico (nosso Vigário Geral), participamos do almoço na Casa Santa Marta, onde se hospedam os cardeais da Santa Igreja, especialmente durante os consistórios. Trata-se de uma bela casa, bastante funcional e com capela bem convidativa à oração. Nessa ocasião, recebemos um grande presente, uma relíquia de 1º grau e documentada, do Beato João XXIII. O Papa que convocou e iniciou o Concílio Vaticano II, cujo jubileu de 50 anos iniciaremos em outubro próximo, ocasião em que apresentaremos ao povo a referida relíquia.

Ainda, na companhia de Dom Genival Saraiva de França (Bispo de Palmares e Presidente do Regional NE2) e Padre Pedro Rubens, SJ (Reitor da UNICAP) visitamos a Universidade Gregoriana e conversamos com a atual direção sobre a possibilidade de trazer para a Universidade Católica de Pernambuco, o Mestrado em Direito Canônico. A ideia é preparar padres, diáconos, religiosos e leigos para colaborar com suas dioceses e com o Tribunal Eclesiástico, do ponto de vista canônico. Precisamos agilizar sempre mais os processos de nulidade matrimonial, iniciados em nossas câmaras diocesanas e encaminhados ao tribunal Regional.

Estar no Vaticano, na cidade eterna, é sempre oportunidade de experimentar a catolicidade da Igreja, no meio de tantas línguas e povos diferentes formando assim uma inumerável família.
Dom Antônio Fernando Saburido
Arcebispo de Olinda e Recife