Entrevistas


Denis Cervinskis
Associação dos Apóstolos da Rainha da Paz

HE- Desde quando e para quem acontecem as aparições de Nossa Senhora, em Medjugorje?

Denis- As Aparições acontecem diariamente desde 24 de Junho de 1981 a três dos seis videntes que Ela escolheu chamados: Ivanka, Mirjana, Vicka, Marija, Ivan e Iakov. Comemoraremos, portanto, 30 anos de aparições diárias, no próximo dia 25 de Junho de 2011(a data comemorativa não é 24 mas sim 25 porque, nesse dia, apareceu ao grupo completo dos seis videntes). À época, os jovens tinham entre 16 e 17 anos e o mais novo, com 10 anos (Iakov). Atualmente, Nossa Senhora aparece a apenas três: Marija, Ivan e Vicka. Isso por- que, depois de confiar a cada um os 10 segredos, que dizem respeito à humanidade, deixa de lhes aparecer diariamente. Através da Marija, Nossa Senhora dá uma mensagem mensal todo dia 25 para o mundo, que é divulgada através de informativos e pela própria Internet por diversos sites. Todo dia 02 do mês, Ela vem rezar com a vidente Mirjana pela conversão dos pecadores. Nossa Senhora apareceu-lhes como a Bem-Aventurada Virgem Maria, a Rainha da Paz, e vem nos recordar da existência de Deus e que precisa haver paz entre os homens e Ele, de uns para com os outros, e de cada um para com Deus. Ela nos diz que esse tempo em que vivemos é um ‘Tempo de Graça’ que Deus está nos concedendo, para a nossa conversão pessoal, antes da realização dos segredos confiados. Afirma-nos, ainda, que essas são as Suas últimas aparições sobre a Terra. juntamente com milhares de outras pessoas, foi chamado a presenciar a ‘silhueta’ de Nossa Senhora na Montanha da Cruz do Krisevac, que lhes apareceu, como um presente para demonstrar e provar que lá aparece. Esse senhor vivia no Espiritismo e levava uma vida dissoluta, abnegando de sua presença no seio da família e gastando seu dinheiro com outras mulheres. Esse testemunho ele mo deu, pessoalmente, após ter voltado. Hoje, depois de sua conversão em Medjugorje eu o vejo, quando o encontro, numa das nossas Igrejas do Recife, na Santa Missa, ao lado de sua esposa que tanto o aguentou, rezou e esperou, com fé em Nossa Senhora, pela sua mudança de vida e salvação de sua família.

HE- Qual a opinião oficial da Igreja sobre essas aparições?

Denis- A Igreja ainda não oficializou essas aparições porque continuam ocorrendo; contudo, a própria Nossa Senhora disse aos jovens que não esperassem a aprovação da Igreja para crer, pois viria, mas sim trabalhassem na conversão pessoal e a anunciar a todos as Suas urgentes mensagens. O próprio Papa João Paulo II, quando entre nós, acreditava piamente nas aparições e pedia aos jovens que “defendessem Medjugorje”. Numa oportunidade falou que se não fosse Papa já estaria lá, para ajudar na acolhida aos peregrinos. A Santa Sé enviou atualmente uma outra Comissão para investigar mais de perto e poder, assim, dar o seu veredicto. Sabemos, todavia, que pelos frutos que Medjugorje produz, algo de extraordinário acontece de verdade. E mesmo que fosse negativo, no fundo acreditamos que as aparições são reais e que os videntes falam a verdade.

HE- Nessas aparições, qual o teor das mensagens da Virgem Maria?
Denis- O que Nossa Senhora nos pede é: Oração, Santa Missa (se possível, todos os dias), Jejum, Penitência, Rosário, Confissão (ao menos uma vez ao mês) e a vivência do amor e da paz, principalmente nas famílias, pois Satanás é forte e deseja, com todas as suas forças, destruir o que é santo em nós, conforme a Rainha da Paz nos diz. Certa vez Ela nos afirmou que pela oração e o jejum poderemos mudar os acontecimentos da natureza e que, pela oração do santo Rosário, milagres podem acontecer em nossa vida particular, no mundo e nas famílias.

HE- Existem sinais que acompanham essas aparições? Pode comentar um pouco sobre isso?
Denis- Sim, até porque para se autenticar quaisquer aparições faz-se necessário, dentre outras coisas, que hajam sinais no local. No escritório paroquial da Igreja de São Tiago, em Medjugorje, há inúmeros milagres relatados. Mas, o que impressiona mesmo são as conversões em massa, que são incontáveis. Sinais na Lua, no Sol, nas Estrelas, na Igreja, bem como na colina das aparições (chamado Podbrdo)  já foram vistos por muitos. Estimula-se que quase 40 milhões de peregrinos já estiveram em Medjugorje, de todo o mundo. Gostaria de contar que tenho um amigo – já de idade e chamado Rubens – que esteve em Medjugorje há uns anos e, estando dentro da igreja, 

HE- Que publicações existem para auxiliar às pessoas que desejam ter mais informações sobre as aparições e as mensagens de Nossa Senhora, em Medjugorje? Como ter acesso a essas publicações?
Denis- Particularmente o livro mais completo que já li e que, por meio dele, aproximei-me mais de Deus e de Nossa Senhora foi “Medjugorje Urgente”, de Olivo Cesca; porém, há muitos outros. Graças a Deus, temos uma Associação chamada ‘Apóstolos da Rainha da Paz’ e um site à disposição de todos que queiram se aprofundar mais sobre as Aparições, que é o www.medjugorjebrasil.com . Temos esse e outros livros para divulgação, bem como materiais trazidos de lá, DVD’s com testemunhos dos videntes, sinais gravados e o relato da própria Ciência, que já atestou que o que acontece em Medjugorje é algo extremamente sobrenatural. Lançamos mês passado, por inspiração Divina, o primeiro número do nosso Jornal no intuito de divulgar as Aparições, além do site e dos produtos onde as pessoas podem se cadastrar para recebê-lo: www.apostolosdarainhadapaz.com.br . Aqui no Recife represento a Associação e possuo todo o material que as pessoas quiserem adquirir. Podem entrar em contato pelo e-mail: deniscervinskis@hotmail.com . Agradeço a Deus e a Virgem de Medjugorje pela oportunidade de poder falar de Suas aparições e mensagens nesta Paróquia em que participo, junto com os meus. Que a Rainha da Paz nos abençoe.

Rute Bacelar: exemplo de vida e trabalho

Professora, pedagoga e psicóloga, a dra. Rute Bacelar tem uma história de vida que é exemplo para todos nós


Rute  Bacelar, viúva, nascida em terras do Engenho Cordeiro, município de Paudalho, filha de pai comerciante e mãe dona de casa, logo cedo manifestou o desejo de continuar a estudar além do curso primário e empreender uma carreira.Quando criança em vez de brincar de casa de bonecas, preferia brincar de escolas de boneca, já demonstrando uma vocação. Assim formou-se professora, profissão que abraçou por 30 anos servindo em diversos colégios do Recife, exercendo funções também de direção e coordenação. 

Por suas classes passaram muitos profissionais que se destacaram em suas profissões. Ao aposentar-se, a professora Rute recebeu um convite para trabalhar em um instituto de psicologia. Não se contentando em servir na área administrativo-pedagógica, resolveu prestar vestibular para Psicologia na Universidade Católica do Recife, obtendo um honroso sexto lugar na classificação, após décadas de distância de disciplinas como Física entre outras. Depois de algum tempo no Instituto resolveu empreender outro caminho abrindo um consultório onde passou a clinicar ao mesmo tempo em que cursava o Mestrado em Psicologia na Universidade Católica onde depois passou a ensinar nos cursos de Psicologia por mais 28 anos. Após mais esta etapa resolveu aplicar seus conhecimentos adquiridos em curso de Especialização em Dinâmica de Grupo criando cursos de formação de idosos que ministra até hoje. Além de toda esta atividade profissional Rute ainda consegue tempo para escrever.


São seus alguns livros especializados em Psicologia e Convivência, estes dirigidos principalmente àqueles que desejam conhecer mais as necessidades da terceira idade. Alguns títulos:

Uma Introdução à Psicologia;
Envelhecimento e Produtividade;
O lugar da Avó;
O Desejo Não Tem Idade - a sexualidade da mulher idosa;
Exemplos de Vida;
Expectativas do Processo de Envelhecimento;
O Deficiente e o Assistente Social - uma experiência de sala de aula.

Doutora Rute também edita um jornalzinho mensal – Convivendo, que distribui entre seus amigos e as pensionistas do lugar onde mora. É sempre convidada a ministrar palestras em diversas instituições e já recebeu várias homenagens pelo seu trabalho que é reconhecido e admirado há muitas décadas por profissionais de diferentes ramos que buscam em seus ensinamentos e experiências enriquecer suas carreiras e vidas pessoais neste exemplo de amor ao trabalho, aos estudos, à profissão e a vida, buscando sempre ajudar com sua sabedoria quantos passem por seu caminho.

Encontro de noivos: Uma iniciativa em benefício da Família

 Antonio Carlos de Oliveira Santos (43 anos) e Erika Medeiros de Oliveira Santos (33 anos), serão os professores do curso de noivos da Paróquia da Harmonia.  Casados há 15 anos e com dois filhos: Luca Miguel (14 anos) e Ana Letícia (11 anos), atualmente coordenam um ciclo do ECC e são membros do movimento “Equipe de Nossa Senhora” (grupos de casais cristãos que cultivam a espiritualidade conjugal)

HE-Como partiu a iniciativado Encontro de Noivos em nossa Paróquia?
 Quando chegamos à Paróquia da Harmonia, em junho passado, procuramos e conversamos com o padre Josivan e expressamos a ele o nosso desejo de nos engajarmos em alguma atividade da Igreja local. Pe. Josivan, por sua vez, informou do seu desejo e da necessidade de se organizar o “Encontro de Noivos” na paróquia, pois havia uma grande demanda. Ele já vinha conversando sobre o assunto com o casal Roni e Zueni, casal maravilhoso, com o qual tivemos o prazer de trabalhar na paróquia do Bongi.
Marcamos uma primeira reunião, na casa paroquial, onde nos foi apresentado mais cinco casais também desejosos de trabalhar na paróquia; formamos assim a atual “Equipe de Trabalho”, constituída pelos casais Paulo e Fátima; Luiz e Inês; Sílvio e Zélia; Roni e Zueni; Gilberto e Fátima, além de nós.

HE-Qual a finalidade de um curso de noivos e a quem se dedica?
Inicialmente, com todo o respeito, gostaríamos de ressaltar que a terminologia mais adequada é “Encontro de Noivos” e não “curso de noivos”, pois como a própria experiência de vida nos mostra, ninguém faz “curso” para noivar, não é mesmo? Pois bem, o “Encontro de Noivos” é um serviço de evangelização prestado pela Igreja cujo objetivo é “sensibilizar os noivos para optarem livre e conscientemente pelo sacramento do matrimônio, baseados no amor conjugal cristão e buscando a evangelização da família”. Desta
forma o Encontro de Noivos se destina a todos aqueles que desejam fazer do casamento muito mais do que uma simples união de corpos, e sim desejam vivenciar, com a graça de Deus, uma vocação: a de serem testemunhas do Amor de Deus.

HE-O que se enfoca neste Encontro?
Nos Encontros de Noivos se apresenta e se reflete sobre vários temas que fazem parte do desafio de se viver a dois: do “diálogo” ao “conhecimento de si e do outro”. Também se reflete sobre o Sacramento do Matrimônio e a Celebração Litúrgica do Casamento, entre outros temas.
HE-Qual a experiência de vocês nesta pastoral?
Não temos experiência específica de trabalho com “Encontro de Noivos”; temos sim, uma experiência de pastoral junto às famílias, em especial no ECC e nas “Equipes de Nossa Senhora”. Temos, no entanto, um grande desejo de aprender e de ajudar a outras pessoas que estão optando pela vida matrimonial.
HE-Qual o tempo ideal para esta preparação?
Em tempos não muito passados, os “Encontros de Noivos” eram realizados em três dias, geralmente na noite da sexta-feira, o dia todo do sábado e o período da manhã do domingo. Hoje, devido a uma série de fatores os Encontros são realizados, em algumas paróquias, em dois dias e em outras em apenas um dia.
HE-Quantos casais podem participar do Encontro?
Em reunião da equipe, junto com o Pe. Josivan estabelecemos que o número máximo para a realização do Encontro é de vinte casais.
HE-Quando começa?
O Encontro de Noivos da Paróquia da Harmonia acontecerá nos dias 26 e 27 de março próximo. Dia 26 (sábado) com a Celebração Eucarística às 19h na Igreja da Harmonia e dia 27 (domingo) das 8h às 17h.
HE-Como se dará as inscrições e quando?
As inscrições serão realizadas na Secretaria da Paróquia a partir do mês de fevereiro




  Entrevista com Dom Fernando Saburido


Nomeado arcebispo de Olinda e Recife pelo Papa Bento XVI, Dom Fernando Saburido, em visita à nossa paróquia concedeu entrevista ao HARMONIA EXTRA  e, entre outros temas, falou sobre Comunicação e Catequese.

Confira!

HE- Em sua opinião, qual a importância do Ano Catequético Nacional lançado pela CNBB entre julho de 2008 e junho deste ano?

Dom Fernando - Foi um ano bastante proveitoso para todo o país porque a igreja está investindo muito depois do diretório nacional da catequese, na catequese de adultos, toda catequese está preocupada com a igreja porque na verdade nós batizamos as pessoas que não são suficientemente evangelizadas.


HE- Existe alguma consonância entre o Ano Catequético e o Ano Sacerdotal proclamado pelo Papa Bento, que está sendo vivenciado neste mesmo período?

Dom Fernando - Não estão relacionados diretamente.  O Ano Sacerdotal foi pensado por conta dos 150 anos da morte de São João de Maria Vianney, que é o patrono dos párocos, com a proposta que foi bastante oportuna estamos ainda no ano sacerdotal e vai terminar somente em junho de 2010 e o Ano Sacerdotal tem como motivação levar o sacerdote a pensar seriamente na missão sacerdotal, no mistério que anima a Igreja e convida a assumir uma proposta de unidade, fraternidade e compromisso com a missão e a fé.

HE- Em nossa paróquia estamos iniciando uma pastoral da comunicação. A PASCOM pode ser útil à catequese? Como?


Dom Fernando - A PASCOM tem uma importância muito grande. A Igreja tem investido muito na comunicação da evangelização e é muito necessário não somente no âmbito arquidiocesano, mas no âmbito paroquial, que haja uma pascom bem desenvolvida, bem participativa, para que possamos utilizar os meios de comunicação (rádio, televisão, internet, jornal) tudo à serviço da comunicação e da evangelização. Eu até parabenizo a paróquia por essa iniciativa que é muito importante e que vocês possam, com a comunicação, ajudar realmente o padre nessa divulgação do evangelho.

HE- Qual a sua mensagem às pessoas que desejam conhecer e seguir melhor a Cristo?

Dom Fernando - Nós estamos no tempo do Advento. É o tempo de conversão e de compromisso com a fé e isso é bom para celebrar o Natal de Jesus (um procedimento da Igreja) é uma festa muito importante que nos recorda a encarnação de Jesus Cristo. É preciso que haja compromisso de nossa parte com o verbo encarnado para que possamos transmitir ao mundo essa mensagem de fé e esperança do Deus que se faz homem e vem para o meio de nós para selar um compromisso com os pobres. Que a Paróquia da Harmonia viva essa experiência do evangelho e que tenha uma atenção muito particular com os carentes que vivem aqui no mundo com tantos problemas, como o vício das drogas que me preocupa tanto, uma situação que dá uma atenção especial aos jovens que estão envolvidos. Uma experiência prática do Advento e preparação para o Natal.


Confira o Vídeo no youtube:
http://www.youtube.com/watch?v=Vc-2moms_6c



-->Neste mês vocacional, solicitamos ao padre Vittorio Saraceno, sacerdote Paulino, que nos falasse sobre a consagração secular. Padre Vittorio nos atendeu muito gentilmente. Confira a entrevista...
-->
HE - Pe. Vittorio, antes de falarmos propriamente dos institutos poderia nos apresentar um pouco da especificidade do carisma paulino e sua importância para a Igreja?

 PV- Padre Alberione, nosso fundador, no início sentiu “o dever de opor imprensa a imprensa, organização a organização”. Mais tarde, com o desenvolvimento dos meios de comunicação social, novos caminhos se abriram para o carisma paulino. “Sempre atenta aos sinais dos tempos, a Pia Sociedade de São Paulo aceita e faz seu qualquer outro meio mais célere e eficaz que a inteligência humana descobrir, para o maior bem dos homens”. Missão dos Paulinos é evangelizar no areópago multiforme das comunicações sociais, que se movem dos mass media à multimedialidade, à rede e derivados. “Os Paulinos procuram manter-se sempre no ritmo do progresso”.


HE - Como, quando surgiram e quais são os Institutos Paulinos de Vida Secular Consagrada?

PV- Em 1958 o Pe. Alberione, a partir da Constituição Apostólica Provida Mater Ecclesia e Primo feliciter de Pio XII, concretizou a ideia do leigo consagrado, sempre presente em sua vida. O Fundador da Família Paulina se perguntava:
Quem vai “cristificar?” — Pio XII dizia “Recristianizar” — fábricas, colégios, bancos, escritórios, política...? Certamente padres e religiosas não poderiam “dar Jesus
-->
Cristo Mestre Caminho, Verdade e Vida” nestes ambientes. Precisava de outro exército: Leigos para os leigos. Nasceram os Institutos Paulinos de vida secular consagrada, agregados à Pia Sociedade de São Paulo. Eles também pertencem à Família Paulina, e recebem os mesmos benefícios espirituais. Em 1990 os Institutos tiveram seu Estatuto aprovado definitivamente. Estamos celebrando o Jubileu de ouro. São eles: Instituto São Gabriel Arcanjo (Gabrielinos), para homens; Instituto Nossa Senhora da Anunciação (Anunciatinas), para mulheres; Instituto Jesus Sacerdote, para sacerdotes e bispos diocesanos; e mais tarde o Instituto Santa Família, para casais. Mais a União dos Cooperadores Paulinos.

HE- Que elementos podem caracterizar a vocação específica para a vida consagrada em um dos Institutos Paulinos?

PV- A identidade dos Institutos de vida secular consagrada se resume em três elementos: “secularidade, consagração e apostolado”. Os membros fazem a experiência de Deus e realizam seu compromisso batismal no ambiente em que vivem. Querem ficar no mundo com a atitude contemplativa de quem vê com os olhos de Deus, ama com o amor de Deus e age por seu Espírito,
-->
totalmente entregues ao Reino de Deus. Portanto, plena consagração a Deus com os votos de castidade, pobreza e obediência. A consagração é vivida no mundo. O modo de viver o apostolado é secular, isto é, apostolado no ambiente em que eles vivem. Os Institutos Paulinos de vida secular consagrada, sendo uma nova proposta da Igreja, têm como finalidade colaborar na transformação da própria realidade.

HE - Qual a missão de um(a) leigo(a) consagrado(a) dos Institutos Paulinos?

PV- Os membros dos Institutos Paulinos vivem no próprio ambiente — família, estudo, trabalho, educação, cultura, artes, política, meios de comunicação... Sua missão é essencialmente o apostolado da Comunicação social ou o apostolado das Congregações da Família Paulina: liturgia, pastoral paroquial, pastoral vocacional. É importante que os membros se dediquem a uma forma de apostolado, dentro da realidade na qual vivem. Todos os apostolados são válidos.


HE- Como as pessoas interessadas podem entrar em contato com os Institutos Paulinos?

PV- O contato poderá ser feito por email:institutospaulinos@paulinos.org.br ou também pelo endereço: Pe. Vittorio Saraceno - Via Raposo Tavares, km. 18,5  05576-200 São Paulo - SP.


A missão Harmonia Extra


Equipe:
Anselmo Cabral
Cláudio Rocha
Glaucia Guedes


Por que um informativo na paróquia?

Em nossa paróquia existem vários movimentos formados por pessoas comprometidas há muitos anos e desenvolvendo belas e importantes iniciativas religiosas e sociais que precisam ser divulgadas. O informativo é um instrumento de testemunho das múltiplas formas como o Evangelho pode ser praticado na Igreja através do empenho pessoal e comunitário. Além disso, procura-se veicular outros textos de conteúdo religioso, como trechos do Catecismo de Igreja Católica e outros documentos e livros da Igreja.

Como as pessoas da paróquia receberam o informativo?

A grande felicidade da equipe que produz o Harmonia Extra é justamente poder perceber que nossos irmãos paroquianos não são apenas leitores do informativo, mas verdadeiros colaboradores, pois recebemos sugestões, elogios, orações e comentários. É muito gratificante percebermos que os membros dos diversos movimentos que já foram apresentados nas edições do informativo, sempre se colocaram muito disponíveis em colaborar nos oferecendo informações e entrevistas. O Harmonia Extra é, de fato, bem recebido pelas pessoas da paróquia e podemos perceber isso pelo espírito de parceria e de reciprocidade no diálogo que se estabelece por meio de um instrumento de comunicação.

Como surgiu o blog Harmonia Extra e qual sua importância?


O informativo impresso em si já é uma forma de documentar a informação. Algo que foi dito ou anunciado de maneira verbal, ao microfone, quando se torna uma informação impressa pode alcançar um número maior de pessoas, ampliando as possibilidades de pregação da Igreja. No formato impresso o informativo também pode até servir como memória da vida paroquial daqui há alguns anos. Agora, simultaneamente ao informativo impresso, o blog é disponibilizado na internet, pois pode ser acessado em qualquer lugar e a qualquer momento desde que a pessoa esteja conectada. Com este recurso virtual, há possibilidade de atualizar as informações de texto e imagem de forma mais rápida e ampla, sem falar que precisamos sempre nos utilizar dos meios mais modernos para anunciar o Evangelho. No blog não se encontram as mesmas coisas que estão no material impresso, a dinâmica é mais leve, mais imagética, o que torna a informação mais rápida, mais acessível e menos onerosa.

Como acontece a dinâmica de produção dos informativos impresso e virtual ?

Cremos que o mais importante é que vamos desenvolvendo o trabalho com a alegria de estamos procurando contribuir de alguma maneira na divulgação das atividades dos movimentos da paróquia. As dificuldades existem, pois a comunicação social exige esforço de equipe muito maior para garantir uma qualidade mínima do resultado final. Também não se dispõe de muito recurso material e o tempo é sempre muito exíguo para realizarmos os projetos que temos em mente para fazer avançar uma boa pastoral da comunicação na paróquia. Mas acreditamos em Deus e sabemos que em apenas 9 edições nós demos apenas os primeiros passos. Damos o nosso melhor e nos colocamos nas mãos do Senhor.

Por que a publicação da oração pelo informativo em várias edições?

Maria é a primeira cristã e a primeira evangelizadora. Ela deu Jesus ao mundo, e sempre acompanha e fortalece todas as iniciativas de evangelização.


Entrevista com Irmã Cristiane



Membro da congregação das IRMÃS PAULINAS que evangelizam com os meios de comunicação social

Ir. Cristiane nos conta como pretendem
atuar na Bienal do Livro de Pernambuco, que acontece este mês no centro de Convenções.


HE- Neste mês em que a Bienal do livro de Pernambuco se apresenta como um forte momento de revigoramento cultural, como as Irmãs Paulinas no Recife entendem esta oportunidade de evangelização?

Ir. Cristiane- Como paulinas, temos dois grandes modelos: São Paulo, o apóstolo que foi ao encontro das multidões e o bem-aventurado Pe. Tiago Alberione, fundador da Família Paulina que, inspirado em Paulo nos deixou como carisma a missão de anunciar Jesus Mestre a todas as pessoas. Portanto, a Bienal é uma grande oportunidade de estar em contato com um grande número de pessoas através da nossa missão, e de falar de Deus das mais variadas formas que a cultura nos oferece.

HE- Numa Bienal do Livro, assim como pelos caminhos do mundo, muitas são as mensagens e propostas veiculadas através das diferentes possibilidades de leitura. Como apresentar a mensagem do Evangelho de modo atual e atraente num evento como este?

Ir. Cristiane- Este é um grande desafio: apresentar o Evangelho de forma atrativa em banalizar, ou seja, sem entrar na lógica capitalista, onde se inventam necessidades tendo como único objetivo vender. Não desejamos manipular a vontade das pessoas, mas testemunhar que os valores do Evangelho, presentes nos nossos produtos são essenciais para a vida. Alberione dizia: “nem sempre é possível falar de Deus, mas sempre é possível falar de tudo cristãmente”. Inspiradas nessas palavras buscamos apresentar o Evangelho de forma atraente, através de um bom livro, contando com a arte como grande aliada.

HE- Qual a importância de se valorizar o universo infanto-juvenil como estratégia de formar leitores cristãos aproveitando a Bienal?

Ir. Cristiane- Todos nós sabemos que é principalmente na infância que desenvolvemos o hábito pela leitura. E sabemos também que os Meios de Comunicação colocam ao alcance de todos, seja criança ou adulto,os mais variados tipos de leituras. Isso tem seu lado bom e seu lado perigoso. É dentro desse contexto que valorizar o universo infanto-juvenil ganha grande importância. Pois e conseguirmos desenvolver o hábito de ler unido ao olhar crítico que ajuda a discernir O que ler?, estamos preparando os novos leitores. E isso acreditamos que é possível fazer através de uma leitura saudável que fale dos valores cristãos numa linguagem apropriada para cada idade.

HE- Além da mídia impressa, outras formas de promoção da vida são possíveis no espaço da Bienal. De que meios, além dos livros, a Paulinas poderá uar para tornar seu stand um ambiente de comunicação cristã?
Ir. Cristiane- Vivemos hoje na era da imagem e do som, por isso, trabalhamos com a música, o filme, posters, inclusive a própria estética do stand e cada irmã ou colaborador(a) paulinas que estiver atendendo são importantes para estabelecermos uma verdadeira comunicação.

HE- A Bienal do livro atrai um grande público e certamente se configura como um programa para toda a família. O que pais e educadores poderão encontrar no stand Paulinas para incentivar seu trabalho educativo?

Ir. Cristiane- Uma das grandes preocupações de nossas produções é fornecer para esse público específico subsídios que possam auxilia-los em sua missão de formação humana. Portanto, pais e educadores encontrarão no stand Paulinas uma enorme variedade de títulos e produtos direcionados às suas necessidades e com preços muito acessíveis. É só passar lá para conferir


 Entrevista com Anselmo Cabral

Participou do Primeiro Encontro Nacional dos Cooperadores Paulinos para o Evangelhoe nos fala sobre a importância deste encontro para a pastoral da comunicação...


HE- Anselmo, quem são os Cooperadores Paulinos para o Evangelho?

Anselmo– Todos nós conhecemos e, de algum modo, direto ou indireto, já tomamos contato com o apostolado da família paulina, composta pelos padres, irmãos e irmãs paulinas (que produzem edições católicas e outras mídias de evangelização) e também pelas Discípulas do Divino Mestre que exercem na Igreja o apostolado litúrgico. Os Cooperadores Paulinos fazem parte de uma associação de pessoas fiéis leigas que querem cooperar para que a missão da família paulina possa chegar a um número cada vez maior de pessoas, por acreditarem que este apostolado da comunicação é capaz de fazer Jesus Cristo mais conhecido, seguido e amado.

HE- Onde aconteceu, quem foram as pessoas que participaram e o que foi comunicado neste Primeiro Encontro dos Cooperadores Paulinos para o Evangelho?

Anselmo- O encontro aconteceu na Casa de Oração das Irmãs Paulinas, em São Paulo entre os dias 10 e 12 de outubro de 2009. Estiveram presentes mais de noventa pessoas de todas as regiões do Brasil. Nestes dias as irmãs ministram palestras sobre o carisma e a espiritualidade da Família Paulina, deixando claro que é a oração e a consagração a Jesus Cristo Mestre, Caminho, Verdade e Vida quem sustenta e dá vida e sentido ao apostolado das edições. Ainda tivemos momentos de retiro, de convivência fraterna e um importante momento de visita ao parque gráfico da editora paulinas onde são produzidos os livros que podemos encontrar nas livrarias das irmãs.

HE- Qual a importância de sua participação neste encontro para seu trabalho na Pastoral da Comunicação em nossa paróquia?

Anselmo- As irmãs paulinas têm o que nós podemos chamar de know-how, ou seja, sua congregação tem 90 anos de experiência em comunicação cristã de excelente qualidade reconhecida por todos, católicos e não-católicos. Nós estamos apenas iniciando uma pastoral da comunicação em nossa paróquia que já se inicia com vocação para o serviço, a fraternidade e o crescimento. Estar presente neste encontro, para nós, significa um momento de grande significado: humildade para aprendermos comunicação católica com pessoas que sabem fazê-la e sabedoria para dar início à nossa pastoral sob a bênção e o apoio de são Paulo, o apóstolo que soube fazer comunicação cristã com os meios de que dispunha em seu tempo e em seu mundo. Hoje, assim como a família paulina, nós da Pastoral da Comunicação Harmonia Extra também queremos evangelizar e animar a comunidade, seguindo o exemplo de são Paulo Apóstolo.

HE- Qual o resultado concreto de sua participação no Primeiro Encontro dos Cooperadores Paulinos para o Evangelho?

Anselmo- Estar em contato com pessoas que lidam com comunicação pastoral nas mais diferentes realidades do país já é uma experiência enriquecedora, conhecer a espiritualidade paulina em comunhão com estes evangelizadores leigos de todo o Brasil é um outro importante diferencial para quem sabe que não pode confiar nas próprias forças para fazer um trabalho que é todo de Deus. E ainda mais: Observar o modo de fazer as coisas das irmãs, com seriedade, competência, profissionalismo, espiritualidade, humanismo e tamanha simpatia nos faz entender o quanto devemos estar atentos para os constantes e sempre necessários aprendizados e esforços para fazer avançar a nossa missão de anunciar Jesus Cristo no contexto paroquial.

Catequese e vida da Igreja - Entrevista com a Irmã Elisabete


 A Crisma é o sacramento em que o jovem confirma as promessas do batismo que um dia foram feitas por seus pais e padrinhos. A partir desse momento, é a própria pessoa quem decide ser cristão e católico. Por isso é considerado o sacramento da maturidade cristã.

Em 2009, Padre Josivan convidou as Irmãs dos Pobres de Santa Catarina de Sena para realizar a formação catequética dos jovens que pretendem reafirmar o batismo na Paróquia Bom Jesus do Arraial para viver a fé de maneira adulta e comprometida com a sociedade e com a Igreja. Nesta edição,conversamos com as irmã Elisabete sobre a crisma e a juventude.

HE- Qual a missão especifica da sua congregação e por que foi fundada?

Ir. Elisabete: Nossa missão acontece em lares de crianças, abrigos de idosos, hospitais, paróquias e colégios. Nossa congregação foi fundada no ano de 1874 pela Bem Aventurada Savina Petrili, para atender as necessidades daquela época e a mais urgente era a de crianças abandonadas. A nossa fundadora dizia que onde estivesse um irmão necessitado, ali era o lugar das irmãs dos pobres.

HE- Qual a importância da educação cristã no Brasil de hoje e como pode ser oferecida considerando a sociedade e as leis brasileiras que valorizam a diversidade?

Ir. Elisabete: Ciente de uma prática individualista e consumista das pessoas do mundo atual, a educação cristã tem um papel fundamental de transmitir os valores da vida de forma renovada. E como transmitir? Quando no sistema de evangelização o eixo central é Deus, o acolhimento e o testemunho da vida, tudo se torna mais flexível, as barreiras são destruídas, não existe separação entre religiões, culturas ou raças. O ensinamento é para todos.

HE- é possível traçar um perfil dos jovens que atualmente buscam a renovação do batismo mediante o sacramento da crisma?

Ir. Elisabete: Os jovens que hoje buscam o sacramento da crisma, são jovens que de uma forma ou de outra têm o desejo de mudança. São cientes de que a vida não é um oba-oba, mas que temos um Deus que nos ama e querem conhece-lo melhor. Influencia bastante, neste religioso, a formação familiar.

HE- Há quem diga que a juventude de hoje é menos idealista que a juventude das gerações passadas. O que pensa sobre isto?

Ir. Elisabete: Não concordo com a afirmação, pois acredito que podemos, sim, ter ideais diferentes. Talvez, devido a velocidade dos meios de comunicação que leva uma comunicação imediata com o mundo, desenvolve no jovem a tendência do imediatismo e talvez isso passe uma visão de falta de ideal. Mas o que eles precisam é solidificar suas potencialidades, a fim de que quando assumirem compromissos sérios possam ter a capacidade de irem até o fim.

HE- Quais os métodos mais apropriados para realizar, atualmente, o serviço catequético? Por quê?

Ir. Elisabete: métodos relacionados ao sociointeracionismo, porque o catequizando ou crismando já possui um conhecimento prévio dos conteúdos que serão abordados; assim, é importante que os encontros sejam realizados de tal forma que desperte nele o desejo de partilha, da busca do conhecimento mais profundo de Deus em um grupo na comunidade. Nesta prática, o método ‘ver, julgar e agir’, continua atual e renovado.

HE- Qual o papel da família nesse processo?

Ir. Elisabete: O papel da família é fundamental, são raros os casos em que o adolescente ou jovem inicia um compromisso mais exigente na Igreja sem o apoio da família. Ela é a base. Por isso é importante a presença da família não apenas nas reuniões de pais mas vez ou outra, para saber como está a caminhada do filho ou da filha e ao mesmo tempo partilhar sua percepção a respeito dele(a) em casa.

HE- Sobre o ANO CATEQUÉTICO lançado pela CNBB, como vê o significado deste projeto para o trabalho dos catequistas e o proveito para a Igreja?

Ir. Elisabete: O Ano Catequético por si, possui características positivas e atraentes: “Não nos ardia o coração quando Ele nos explicava as escrituras e repartia o pão?”. Acredito que temos de transmitir aos nossos catequistas este ardor missionário que ardia no coração dos discípulos. Para isso é necessário mergulhar fundo neste Amor Divino para transmiti-lo ao outro sem temer os desafios. A partir deste princípio missionário, a Igreja só tem a ganhar, pois teremos a capacidade de trair mais pessoas com uma formação mais fecunda e amante do Reino.

Agradecemos a entrevista!


Entrevista com a Legionária Janete



Fundada em 1921, a Legião de Maria deseja fazer conhecer a todos os fiéis o lugar de Maria na história da Salvação. Para sabermos melhor como funciona este magnífico movimento da nossa Igreja, conversamos com a legionária Janete de Lima. O resultado desta entrevista você confere agora:





H.E.- Quem fundou a Legião de Maria, onde e em que ano?

Legionária Janete: Fundada em 21 de setembro de 1921pelo então vicentino Frank Duff, natural de Dublin, na Irlanda. Com um grupo de senhoras católicas e o padre Michael Toher, da arquidiocese de Dublin, fundou o primeiro praesidium da Legião de Maria. Desde esta data até a morte, orientou a legião mundial da Legião com heróiica dedicação e assistiu o Concílio Vaticano II como observador leigo.

H.E.- A Legião de Maria foi fundada para atender que tipo de necessidade da Igreja? E ainda, Como ele é organizado e como são chamados os seus membros?

Legionária Janete: Este movimento foi fundado para atingir aos ímpetos de profunda compreensão do papel da Santíssima Virgem no plano da redenção, bem como dos fiéis leigos na missão da Igreja.A Legião de Maria está, por isso, organizada à maneira de exército, principalmente do exercito da antiga Roma, cuja terminologia adotou , se em que as tropas e as armas legionárias não sejam deste mundo. Todos os seus membros são chamados de Legionários de Maria.

H.E.- Dona Janete, diga-nos o que é necessário para ser um legionário mariano?

Legionária Janete: Bem, a Legião de Maria está aberta a todos os católicos que: a) pratiquem fielmente a sua religião; b) estejam animados do desejo de exercer o seu apostolado na Igreja,como membros da Legião; e c) estejam resolvidos a cumprir todas as obrigações impostas aos membros organização. Convém observar que Monsenhor Montini, mais tarde papa Paulo VI, escrevendo em nome de Pio XII declarou que “este compromisso Legionário e Mariano tem fortalecido os legionários de todo o mundo na sua luta por Cristo,especialmente os que estão sofrendo perseguições pela fé”.

H.E.- Quando e por meio de quem este movimento chegou ao Brasil?

Legionária Janete: Este movimento chegou ao Brasil no ano de 1951 por meio de um grupo de legionários vindos diretamente de Dublin onde até hoje manemos todo o nosso contato através de envio de relatórios das atividades vivenciadas aqui no Brasil.

H.E.- Desde quando existe a Legião de Maria em nossa Paróquia Bom Jesus do Arraial?

Legionária Janete: Temos este movimento em nossa paróquia desde 1957.

H.E.- Que atividades são desenvolvidas atualmente por este movimento em nossa paróquia?

Legionária Janete: A Legião de Maria deve estar contida nas 24h do legionário. Aqui em nossa paróquia participamos de várias atividades como: pastoral da liturgia, ministros da comunhão eucarística, acolitando o pároco e levando a eucaristia para os doentes e idosos impossibilitados de chegarem até à paróquia. Na pastoral da saúde, fazemos visitas aos doentes nos lares e nos hospitais. Também participamos e incentivamos os novenários e procissões, como também na via-sacra de todos os anos e nas solenidades diversas das paróquias vizinhas.

H.E.- Em que dias e horários acontecem seus encontros ou reuniões?

Legionária Janete: Nas segundas-feiras, das 15h. às 16h30min. e nas terças-feiras das 19h30min, às 21h30min..